quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

"A nossa vida é um carnaval, a gente brinca escondendo a dor"

Ah o Carnaval....... festa popular brasileira, cheia de euforia, que abre os braços pra receber a todos que nele adentram.
Aqui em Recife temos galo da madrugada, escolas de samba, caboclinhos, maracatu, orquestras de frevo subindo e descendo ladeiras e avenidas.
Acho a manifestação cultural significativa, e louvável do ponto de vista dos ritmos e da diversidade artística expressa pelos segmentos, que norteiam os dias de momo, mas desprezo, a sujeira, o vandalismo, a falta de bom senso de muitos que se dizem foliões, A belíssima música "Turbilhão" do Moacir Franco, que é executada num ritmo chamado frevo de bloco, traz essa verdade estampada nos seus primeiros versos, fala que a jornada da vida é uma folia desmedida, e que muitos estão nela escondendo a dor, a música segue falando de uma história de amor, mas gostaria de discorrer acerca desses primeiros versos.
Não são poucos os que vão de folguedo em folguedo, tentando amenizar a angústia da vida, tantos carnavais, dentro e fora de época, bebendo, cheirando, transando, e tudo mais que tiver direito, afinal a expressão Carpe Diem( aproveite o dia) nunca foi usada de forma tão intensa, e tão equivocada. Na existência se aprende de tudo, filosofia, futebol, música, patins.....a gente só não aprende a viver, o raciocínio foi uma das coisas mais fantásticas que Deus nos deu, que pena que nós usamos muito pouco, e pra quem não tem sentido na vida, não é bom usar muito não, se não o sujeito se deprime de um jeito que é capaz de cometer suicídio.
Ah.... também tem os que se retiram, para as folias cristãs, são os retiros de carnaval, as pessoas se submetem a dormir mal, comer mais ou menos, ir pra o mais longe que puder da festa, e mais perto de Deus, parece que esqueceram as palavras de Jesus, que onde estiverem dois ou três reunidos, Eu estarei no meio deles. São dias cansativos, pra quem está na administração, programação pesada de entretenimento e doutrina da bíblia, louvores aeróbicos, já fui a muitos e confesso que não me serviram muito no meu dia-a-dia.
Tenho visto dores, dentro e fora das igrejas, que Deus nos ajude a compreender melhor os carnavais da alma!!!!

Um comentário:

conceição disse...

Muito bom Marcinho, acho que o vazio em que as almas se encontram, qualquer coisa serve, mais verdadeiramente sabemos o que Realmente serve.

Ceça Praxedes